top of page
  • Editora Piu

Vem aí o "Seminário 200 anos da Independência: Crônicas Brasileiras"


Em 2022, o Brasil celebra 200 anos de sua independência e esse é um bom momento para uma pequena pausa, um pequeno respiro, para refletirmos sobre a nossa história emancipada e a construção social que nasce a partir daí. O que nos faz independentes? O que acabamos perdendo pelo caminho? O que queremos levar para o futuro? Para falarmos sobre essas e outras tantas questões e estórias de nossa história, o seminário 200 anos da Independência: crônicas brasileiras, reúne, em dois dias de programação, diferentes convidados para uma grande roda de conversa sobre nós, os brasileiros. No cruzamento de grandes temas - história, arte, mulheres, matriz cultural, ancestralidade e futuro -, vamos respirar brasilidade e aprender mais sobre nós mesmos. Um momento de pausa, reflexão e diálogo, deixando o que pensar sobre nossos desejos e ideais de independência.

Crônicas? Crônicas são textos curtos que tratam de coisas do cotidiano. Entre o jornalismo e a literatura, esse gênero costuma jogar luz no extraordinário das coisas simples e, muitas vezes, óbvias. Geralmente trata sobre aquilo que quase passa desapercebido, que poderia ter sido deixado de lado por qualquer um de nós. E a coisa toda se desenvolve via prosa, na cadência de uma boa conversa entre amigos: cada um traz a sua contribuição e a perspectiva de todos vai alargando.


Confira a programação completa:


23 DE SETEMBRO – sexta-feira

19h30 Boas-vindas, com música e degustação de cachaça

20h O lado B da Independência, com Eduardo Bueno


24 DE SETEMBRO – sábado

14h30 Boas-vindas, com degustação de cachaça ou café – você decide :)

14h45 Heroínas da História: A Independência é feminina, com Paula Taitelbaum, Mary Del Priore* e mediação de Fernanda Carvalho

15h30 De Debret a Pedro Américo: Visões da Independência, com Paula Ramos, Luiz Zerbini* e mediação de Joana Bosak

16h15 Independência e vida: Uma reflexão sobre ser brasileiro, com Winnie Bueno, Kaká Werá* e mediação de Clarissa Lima da Silva

17h Roda de Capoeira, com Associação Herança Cultural Capoeira

17h30 Encerramento


*Mary Del Priore, Luiz Zerbini e Kaká Werá participam do evento de forma remota.



Sobre os convidados:


Clarissa Lima – É Jornalista e apresentadora. Atualmente é assessora de diversidade da Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul onde, organiza e desenvolve projetos voltados à diversidade racial e de gênero, entre outras temáticas. Também é ilustradora e modelo para comerciais, há 10 anos, onde desenvolve campanhas institucionais e publicitárias com temática antirracista e de empoderamento da mulher negra. Confere lá no perfil do Instagram: @clarissalima_modelo.


Eduardo Bueno – Jornalista, escritor, tradutor. Apaixonado por História, especialmente pela do Brasil. Autor da coleção Terra Brasilis, marcada pela forma diferente de narrar a história do país.


Fernanda Carvalho – Jornalista. Repórter e apresentadora na RBS TV. Com mais de 10 anos de experiência no jornalismo, atuou também na TVE, apresentando o programa Nação, que trata de temas associados à diáspora africana, resgatando a contribuição histórica e cultural da comunidade negra para o Rio Grande do Sul.


Joana Bosak – Historiadora da Arte, crítica e pesquisadora. É professora na UFRGS, nos cursos de História da Arte e no PPG em Artes Visuais. É também diretora do Museu de Moda e Têxtil da UFRGS. Possui doutorado em Estudos de Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio doutoral na Universitat de Barcelona. Foi professora visitante na Università Ca'Foscari (Veneza).


Kaká Werá Jecupé – Escritor, ambientalista e professor. É descendente do povo tapuia e acolhido pela comunidade guarani, com a qual desenvolve uma extensa pesquisa histórica, linguística e cultural. Envolvido em processos educativos, atua na valorização, no registro e na difusão dos saberes ancestrais de povos indígenas. Há mais de 25 anos é facilitador de processos de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Entre suas formações, destaque para Liderança Pública pela Fundação Lemmann através da RAPS (Rede de Apoio a Política para Sustentabilidade) e Empreendedor Social pela Ashoka. Master Coaching certificado pela BCI (Behavioral Coaching Institute) e Formação Holística de Base pela Unipaz, onde atua como facilitador e membro da Cátedra de Saberes Indígenas. Participa do seminário de forma remota.


Luiz Zerbini – Artista multimídia. Integrante da chamada Geração 80, trabalha com pintura, escultura, vídeo, desenho e fotografia. Em 1995, cria, em parceria com o artista Barrão, o editor de vídeo e cinema Sérgio Mekler e o produtor musical Chico Neves, o grupo Chelpa Ferro (expressão arcaica que significa dinheiro). Em 2014, Zerbini recriou uma das imagens mais clássicas da pintura histórica brasileira, em sua icônica Primeira Missa, formulando uma nova representação para a cena ocorrida em 1500, emblemática da colonização portuguesa no Brasil. Recentemente, realizou uma grande mostra no MASP: intitulada “Luiz Zerbini: a mesma história nunca é a mesma”, a exposição contou com 50 trabalhos inspirados em fatos e imagens da história do país, chamando a atenção para novas narrativas. Participa do seminário de forma remota.


Mary Del Priore – Historiadora. Autora de mais de 50 livros sobre a História do Brasil. É especializada em diversos temas da sociedade, como história da mulher, da família e da criança, história da sexualidade, da família imperial brasileira, história do consumo e das transformações da intimidade. Recebeu mais de 20 prêmios literários nacionais e internacionais, entre os quais três Jabutis. Entre as suas publicações estão “Uma breve história do Brasil” e “Histórias da gente brasileira”. Participa do seminário de forma remota.


Paula Ramos – Historiadora da Arte, crítica e curadora. É professora na UFRGS, nos cursos de História da Arte, Artes Visuais e no PPG em Artes Visuais. Pesquisadora e bolsista da Fundação Alexander von Humboldt, Alemanha. Curadora de várias exposições de artes visuais, é também autora e organizadora de publicações no segmento da cultura, com destaque para A modernidade impressa – Artistas ilustradores da Livraria do Globo – Porto Alegre (Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016), livro agraciado com diversos prêmios regionais e nacionais, dentre os quais o Prêmio Jabuti.


Paula Taitelbaum – Escritora, jornalista, ilustradora, editora e produtora cultural. Paula é autora, entre outros, das obras infantis "Palavra vai, palavra vem" (L&PM Editores, 2013), "Bichológico" (Editora Piu, 2016), "Pra que serve um dedo?" (Editora Piu, 2017), "Poupou" (Editora Piu, 2019) e "Ora Bolas" (Editora Piu, 2019). É também autora das ilustrações de "Dicionário da Independência – 200 anos em 200 verbetes" (Editora Piu, 2020), de Eduardo Bueno.


Winnie Bueno – Pesquisadora e ativista antirracista. Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL/RS). Mestre em Direito pela Universidade do Vale Rio dos Sinos (Unisinos/RS), na linha de pesquisa Sociedade, Novos Direitos e Transnacionalização. Doutoranda em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFRGS.



Informações gerais:


Datas

23.9 das 19h30 às 21h30

24.9 das 14h30 às 17h30


Local

Instituto Ling | Rua João Caetano, 440 | Porto Alegre - RS

Estacionamento no local (acesso pela Rua Eng. Idelfonso Simões Lopes, 323)


Investimento

Palestra dia 23/9: R$ 120,00

Programação completa (dias 23 e 24/9): R$ 160,00


Inscrições

Se você é professor da rede pública de ensino, escreva para o e-mail instituto.ling@institutoling.org.br e garanta sua cortesia para a programação completa. Vagas limitadas!


Realização

Editora Piu e Instituto Ling


Apoio

49 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page